Oito pessoas são presas na 3ª fase de operação contra fraudes milionárias em processos judiciais na Bahia

Oito pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (7) na terceira fase da Operação Inventário, que apura fraudes em processos em trâmite na Justiça baiana. As prisões ocorreram em Salvador (3) e Paulo Afonso (4), e Aracaju (1), capital de Sergipe, segundo informações do Ministério do Público do Estado da Bahia (MP-BA).

Intitulada de “Turandot”, a terceira fase da Operação Inventário investiga fraudes milionárias em processos judiciais em trâmite na comarca de Paulo Afonso, supostamente praticados por organização criminosa formada por juiz aposentado, advogados, serventuários e particulares. As investigações começaram no ano de 2020, quando foi realizada a primeira fase da operação.

Segundo o MP-BA, um dos principais responsáveis por forjar alvarás de inventário fraudulentos, preso nesta terça-feira, movimentou mais de R$ 50 milhões em renda não declarada.

Ainda segundo o órgão público, parte do valor teria sido repassado por meio do uso de “laranjas” e destinado à compra de imóveis de luxo na Flórida, nos Estados Unidos, avaliados em mais de R$ 5 milhões. Durante as investigações, foram identificados diversos saques em espécie em valor acima de R$ 100 mil.

A terceira fase Operação Inventário contou com o trabalho conjunto de equipes do MP-BA, por meio do Gaeco; da Polícia Civil, por meio da 18ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin – Paulo Afonso); e da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Grupamento Aéreo (Graer).

Também participaram desta fase a força-tarefa de combate a crimes praticados por policiais civis e militares, das Corregedorias da Secretaria de Segurança Pública da Bahia e da Polícia Militar, do Gaeco do Ministério Público de Sergipe e da Ordem dos Advogados do Brasil.

G1/BA