Profissionais da imprensa foram abordados por policiais militares por uma suposta invasão de propriedade privada, durante a realização de uma reportagem na cidade de Piatã, no interior baiano. A equipe da Repórter Brasil foi até à cidade em busca da sede da Brazil Iron, mineradora inglesa que possui operações na Bahia. 

Segundo os repórteres, Daniel Camargos e Fernando Martinho, eles chegaram a ser recebidos pelo gerente da empresa, Robert Mann, na sala de reuniões. Mas após os jornalistas explicarem a reportagem e pedir esclarecimentos sobre os pontos abordados nela, Robert pediu para que os jornalistas aguardassem.


Cerca de uma hora depois, dois policiais entraram na sala de reunião, alegando terem sido chamados pela empresa por conta de uma denúncia de invasão dos repórteres à mineradora que teria acontecido nos dias anteriores - acusação que não se confirmou. A empresa também solicitou a apreensão das imagens produzidas durante a reportagem.


Os jornalistas se recusaram a entregar as imagens, argumentando a necessidade de uma autorização judicial para obtê-las. Sem acordo entre os repórteres e a empresa, todos foram conduzidos para a delegacia. Algumas horas depois, a equipe foi liberada. O caso aconteceu no último dia 28. 


“Os repórteres foram, surpreendentemente, pressionados pela empresa e pela PM enquanto aguardavam para ouvir o posicionamento da Brazil Iron dentro de suas instalações. É uma clara tentativa de intimidação ao trabalho jornalístico, de cerceamento da liberdade de imprensa, que não pode ser aceita”, afirma Leonardo Sakamoto, diretor da Repórter Brasil.


Bahia Notícias