Solla se junta a Moema, Caetano e Jerônimo entre alternativas do PT para disputar Governo da Bahia

O deputado federal Jorge Solla é mais uma alternativa para concorrer ao Governo da Bahia pelo PT. Segundo apurou o Aratu On, o nome dele foi referendado por parte da militância petista presente na noite desta segunda-feira (7/3), em plenária realizada por alas do partido.

Ainda não há uma articulação propriamente dita e, portanto, a possibilidade é enxergada como embrionária. O encontro do PT tinha justamente este caráter: pressionar para que a sigla tenha candidatura única ao Palácio da Ondina. Dentro deste contexto, Solla afirmou que aceitaria a missão de concorrer ao Executivo baiano. Nos últimos dias, ele liderou os protestos contra a eventual candidatura do senador Otto Alencar (PSD), argumentando que a legenda deveria ter um candidato próprio.

Inicialmente, a plenária pretendia reivindicar que o senador Jaques Wagner recusasse da desistência em entrar no páreo - isto, inclusive, foi colocado nas redes sociais de Solla. Contudo, o nome do deputado foi ponto de convergência entre lideranças presentes no evento, que aconteceu de forma semipresencial. Fontes consultadas pela reportagem, no entanto, ponderam que a plenária visou discutir cenários, alternativas e conjunturas. A opinião de consenso é que o nome deve expressar o "conjunto de desafios".

Desta forma, Solla se junta a outros três nomes que estão no páreo: a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho e dos os secretários estaduais de Relações Institucionais (Serin), Luiz Caetano, e de Educação (SEC), Jerônimo Rodrigues.

A reunião foi capitaneada pela tendência Avante, da qual Solla faz parte. Além deta, participaram do evento lideranças das seguintes alas do PT: Articulação de Esquerda, Avante. ManifestA ColetivA, Núcleo Popular, O Trabalho, PT da Saúde, Quilombo Socialista, além de militantes independentes. Os dois primeiros participaram da plenária

Nesta terça-feira (8/3), Wagner e o governador Rui Costa (PT) vão a São Paulo a encontro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para avançar nas discussões a respeito da candidatura petista na Bahia.

Enquanto isto, a reunião da Executiva Estadual, que aconteceria no último sábado (5/3), foi remarcada para a próxima quinta-feira (10/3). No sábado (12/3), haverá encontro do Diretório - instância acima da Executiva - para maturar a estratégia do partido.

Nesta segunda, Wagner anunciou que Rui ficaria no cargo até o fim do mandato, deixando espaço para Otto concorrer à reeleição ao Senado. Agora, resta definir os nomes para a cabeça da chapa e para a vice.