Mudança da pandemia para endemia desagrada secretária de Saúde: 'Não posso compactuar'
Foto: Bruno Leite / Bahia Notícias

A possibilidade estudada pelo Ministério da Saúde de rebaixar a pandemia de Covid-19 para endemia não agrada a secretária de Saúde da Bahia Adélia Pinheiro. Para ela, o anúncio feito pelo presidente Jair Bolsonaro na quinta-feira (3) (veja aqui) é precipitado e não seria da competência do governo decidir a classificação.


“O órgão que tem a responsabilidade sanitária de classificar uma pandemia e dizer que não há mais pandemia é a Organização Mundial de Saúde. Hoje nós estamos em pandemia e é necessário falar isso para a população’, destacou a secretária durante entrega de uma maternidade em Seabra nesta sexta-feira (4).

 

“Apesar dos números de caso estarem diminuindo e a ocupação de leitos de uti está abaixo dos 50% no conjunto das macrorregiões do estado, ainda assim a nossa vacinação tem uma cobertura que não alcançou os 90% da população e precisa crescer para nos dar mais segurança. Não posso compactuar com qualquer ideia que venha classificar uma pandemia ainda em curso como endemia”, acrescentou.

 

Caso a medida anunciada seja aplicada, a Covid-19 deixará de ser emergência de saúde e o uso de máscaras, por exemplo, poderá deixar de ser aplicado. Especialistas acreditam que a mudança na nomenclatura seja precipitada diante dos casos no país, já que de acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, o Brasil contabilizou 61 mil novos casos e 578 óbitos.