Rússia invadiu a Ucrânia em um processo de envio de militares ao país vizinho às 5h da manhã no horário de Kiev  desta quinta-feira (24), no que pode ser o início de uma guerra na Europa devido às exigências do presidente russo, Vladimir Putin, pelo fim da expansão da Otan para o leste.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez um apelo para a população do país mais cedo, pedindo para que os cidadãos “não entrem em pânico”.

“Somos fortes, estamos prontos para tudo”, disse ele em vídeo publicado pela CBS News.


Em uma publicação feita no perfil oficial da embaixada do Reino Unido na Ucrânia, foi afirmado que “Putin iniciou uma guerra não provocada contra a Ucrânia, uma guerra contra a Europa, uma guerra contra o mundo inteiro”.

Segundo a revista norte-americana Time, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou por meio de um comunicado que o ataque foi “não provocado e injustificado”, dizendo ainda que a Rússia “escolheu uma guerra que trará uma perda catastrófica de vidas e sofrimento humano”.


“Somente a Rússia é responsável pela morte e destruição que este ataque trará, e os Estados Unidos e seus aliados e parceiros responderão de maneira unida e decisiva”, disse Biden.


Ursula von der Leyen, presidente da União Europeia, seguiu a mesma linha de Biden para falar sobre a invasão em seu perfil no Twitter.

“Condenamos veementemente o ataque injustificado da Rússia à Ucrânia. Nestas horas sombrias, nossos pensamentos estão com a Ucrânia e as mulheres, homens e crianças inocentes que enfrentam esse ataque não provocado e temem por suas vidas. Vamos responsabilizar o Kremlin”, afirmou.

Money Times