Nova versão da Ômicron não é identificada pelo tradicional exame RT-PCR
Foto: Reprodução / Pixabay

Uma nova linhagem da variante Ômicron, identificada na África do Sul, Austrália e no Canadá, não pode ser detectada pelo tradicional teste de PCR. De acordo com pesquisadores europeus, a versão da variante faz com que agora a cepa se divida em duas categorias: BA.1 e BA.2. 

 

Conforme divulgou o portal UOL, os cientistas agora investigam se a nova versão da Ômicron já se espalhou por outros países. Na prática, a BA.2 é detectada como coronavírus por todos os testes usuais, mas só pode ter sua mutação determinada por meio de testes genômicos. "As duas linhagens podem se comportar de maneira diferente", afirmou o professor François Balloux, diretor do University College London Genetics Institute.

 

"Há duas linhagens dentro da Ômicron, BA.1 e BA.2, que são bastante diferenciadas geneticamente", explica. O pesquisador destacou ainda que uma alteração na proteína spike resulta no fato dos testes PCR não conseguirem identificar o vírus. No entanto, por meio de sequenciamento do genoma e através dos outros testes usuais de Covid-19, é possível identificar a BA.2.