Quatro "mercenários" foram mortos e dois foram presos após o assassinato do presidente do Haiti, Jovenel Moise, informou a polícia local nesta quarta-feira, 7, revelando que suas forças realizam uma operação na capital, Porto Príncipe.

"Quatro mercenários foram mortos, dois colocados sob nosso controle. Três policiais que foram feitos reféns foram recuperados", declarou o diretor-geral da polícia haitiana, Leon Charles, em um comunicado à televisão.

Ele acrescentou que a polícia perseguiu os assassinos imediatamente após o tiroteio contra Moise e sua esposa, que ficou ferida mas sobreviveu ao ataque, em sua residência em Porto Príncipe, na manhã desta quarta.

Fonte: AFP