PM morto após atirar contra policiais em Salvador é enterrado no sul da Bahia

 


Sepultamento do PM morto após atirar contra policiais em Salvador é realizado no sul da Bahia — Foto: Patrícia Laís/TV Santa Cruz


Policial estava noivo e morava na cidade de Itacaré, no sul da Bahia, onde era lotado. O sepultamento dele foi realizado em Itabuna, também no sul do estado.




O PM Wesley Góes, de 38 anos, que foi morto após atirar contra policiais militares, após um possível surto, em Salvador, foi enterrado na tarde desta segunda-feira (29), em Itabuna, no sul da Bahia.

Amigos, familiares, além de centenas de policiais participaram do enterro no cemitério Campo Santo, em Itabuna. Foram os amigos policiais que carregaram o caixão para o momento da despedida.

Pouco depois das 17h, o corpo de Wesley foi enterrado sob muita comoção, aplausos e uma homenagem com fogos de artifício.

Ainda na manhã desta segunda-feira, só que Itacaré, cidade onde Wesley era lotado e a cerca de 100 km de Itabuna, cerca de 200 policiais fizeram uma homenagem para o PM. Os policiais, que estavam de máscaras de proteção da Covid-19, fizeram uma roda e uma oração para Wesley Góes.

Amigos, familiares e policiais durante o sepultamento de Wesley Góes, em Itabuna, no sul da Bahia — Foto: Patrícia Laís/TV Bahia

O policial estava noivo e morava na cidade onde trabalhava. Ele era conhecido por ser uma pessoa alegre. Segundo a Polícia Militar, em 13 anos de serviço, ele nunca apresentou comportamentos que sugerissem problemas psicológicos.

Nas redes sociais, também nesta segunda-feira, o governador da Bahia, Rui Costa, lamentou a morte do PM Wesley.

"Quero lamentar profundamente o fato ocorrido neste domingo e ao mesmo tempo manifestar meus sentimentos à família do policial envolvido", disse.

Ainda na postagem, o governador fala também em "estender a solidariedade a todos os policiais que participaram da operação e colocaram suas vidas em risco".

Na publicação, o governador disse:

Quero lamentar profundamente o fato ocorrido neste domingo e ao mesmo tempo manifestar meus sentimentos à família do policial envolvido. Também quero estender minha solidariedade a todos os policiais que participaram da operação e colocaram suas vidas em risco. O final de semana foi de ataque a mim e a governadores e prefeitos do Brasil inteiro, mas não iremos nos intimidar com mentiras e ameaças. Reafirmo meu compromisso com o enfrentamento da pandemia e com a saúde e a vida dos baianos e baianas. Continuaremos lutando dia após dia por mais vacina. Vacina para policiais militares e civis, para guardas municipais e para os trabalhadores da educação. Vamos continuar trabalhando pela paz em nosso país, pelo desenvolvimento, pela harmonia e pelo respeito às leis e à constituição.

Entenda o caso

O soldado Wesley Góes trabalhava na 72ª CIPM, em Itacaré. Na tarde de domingo, ele foi até a companhia, buscou um fuzil e partiu para o Farol da Barra. Policiais já tinham percebido que ele estava descontrolado e o seguiram.

Góes parou no Farol da Barra, em Salvador. Assim que saiu do carro, fez disparos para o alto e gritou palavras de ordem. Ele estava com o rosto pintado de verde e amarelo. A polícia isolou o local e iniciou uma negociação que durou mais de três horas. Familiares do soldado foram chamados para ajudar.
Durante as tratativas, Góes arremessou bicicletas de banhistas e atirou isopores de ambulantes no mar. Ele chegou a empurrar motos de PMs e uma viatura. Por volta das 18h30, o soldado fez uma contagem regressiva e atirou ao menos dez vezes contra o Bope, que atirou de volta e baleou o soldado (veja vídeo com o momento do disparo abaixo). Ele chegou a ser socorrido, mas morreu às 23h.

Confira a ordem cronológica dos fatos:

Policial militar na região do Farol da Barra, em Salvador — Foto: Alberto Maraux / SSP-BA

14h: A ocorrência iniciou quando o militar chegou armado com fuzil e pistola, na Barra. Imediatamente ele iniciou disparos de fuzil para o alto. Ele foi cercado por unidades policiais do CPR Atlântico e especializadas, que isolaram o local;

15h: de acordo com a SSP, uma equipe do Bope iniciou a negociação. O soldado alternava momentos de lucidez com acessos de raiva, acompanhados de disparos. De acordo com o órgão de segurança pública, além dos tiros de fuzil, o soldado arremessou grades, isopores e bicicletas, no mar;

18h35: O soldado teria falado que havia chegado o momento, fez uma contagem regressiva e iniciou os disparos contra as equipes do Bope. Após pelo menos 10 tiros, o soldado foi neutralizado e socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE);

Depois das 18h40: Jornalistas tentaram se aproximar do policial e foram afastados com balas de borracha;

23h: A Secretaria de Segurança Pública da Bahia confirma a morte de Welsey Góes no hospital.

Policial militar que 'surtou' e disparou tiros para cima na região do Farol da Barra, em Salvador é baleado — Foto: Alberto Maraux / SSP-BA

Policial militar dispara tiros para cima na região do Farol da Barra, em Salvador — Foto: Redes Sociais



Fonte: G1 Bahia
Compartilhar Google Plus

Autor emcimadanoticia

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo digitando o texto no html .

Postagens Relacionadas

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial