'Caminhamos a passos largos para o colapso do sistema de saúde', diz Léo Prates

 


O sistema de saúde pública de Salvador pode entrar em colapso a qualquer momento. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Léo Prates, o próximo fim de semana será crucial para conter o avanço da Covid-19 no estado. "Previsão de dureza completa para o sistema no fim de semana. Estou há 20 meses na secretaria e nunca vi o sistema de Saúde dessa forma. Nós caminhamos a passos largos para o colapso do sistema de saúde", afirmou na manhã desta segunda-feira (1), em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da Rádio Salvador FM 92,3.

 

Prates revelou que 70 pacientes foram regulados nas últimas 24 horas, o que é um número expressivo, na comparação com anos anteriores. Para tentar conter essa onda, a prefeitura pretende ter 266 novos leitos na cidade. Porém Prates demonstra preocupação com a quantidade de profissionais e insumos para dar conta de tanta demanda. 

 

"Na primeira onda tivemos 228 leitos no munícipio. Vamos chegar a 266 leitos na segunda onda depois da expansão. Os médicos aguentarão essa rotina por muito tempo? Uma pessoa sai de um plantão no Couto Maia e vai dar um plantão no Sagrada Família. Será que essa rotina será aguentada por muito tempo?", questiona.

 

O Hospital Salvador, atualmente, opera com 20 leitos de UTI e 40 clínicos. O Santa Casa deve abrir 20 novos leitos, com mais 10 leitos de suporte ventilatório na Tenda dos Barris, "triplicando a capacidade daquela upa". Até a próxima sexta-feira (5), o ginásio de Itapuã deve ser aberto para receber pacientes. 

 

UPAs 

De acordo com o secretário, a prefeitura também está fazendo um movimento para diminuir a frequência de pacientes com outros problemas - não relacionados à Covid-19 - nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Salvador. Pacientes com classificação "azul e verde" - não graves -, por exemplo, serão encaminhados para Unidades Básicas de Saúde (UBS). 

 

"Uma dor de cabeça, um pequeno corte, podem ser atendidos em uma unidade básica de saúde. Estamos fazendo uma manobra para evitar que a UPA seja também um local de contaminação. Inclusive, estamos saindo de 42 unidades para 53 unidades com teste de antígeno, que é popularmente conhecido como teste do nariz", informou. 

 

VACINAÇÃO

Léo Prates também lamentou que a vacinação não esteja no ritmo adequado na capital baiana. "Eu comparo a equipe de vacinação com um time de futebol, identificando e entrosando os profissionais. E quando você vai 'pegando a manha', para. Até remobilizar, é complicado. A gente acaba as doses entre hoje e amanhã, e o governo federal sinalizou que deve enviar doses na quarta-feira (3), porém é apenas uma sinalização não sabemos se isso de fato vai acontecer", analisou.

 

Por fim, ele faz um apelo para que a população colabore no enfrentamento da Covid-19, respeitando os decretos e medidas implementadas pelas autoridades. "Meu apelo é para o uso contínuo de máscaras. Saúde pública é saúde coletiva. Cada um fazendo sua parte para garantir a vida de todos. Higienizar as mãos, álcool gel, distanciamento social, e, pelo amor de Deus, evitar aglomeração. Essa semana vai ser a mais dura da pandemia, porque as medidas só terão efeito entre sexta e sábado", pediu. 

Compartilhar Google Plus

Autor emcimadanoticia

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo digitando o texto no html .

Postagens Relacionadas

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial