Sesab diz que 'automação' no sistema explica diferenças de números em boletins municip

Sesab diz que 'automação' no sistema explica diferenças de números em boletins municipais
Foto: Reprodução / Sesab

Quando analisado o número de casos ativos da Covid-19 em cada município do estado, é possível notar discrepâncias entre os dados divulgados pelo boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), e as secretarias municipais de pelo menos cinco cidades baianas entre aquelas que registro o maior número de pacientes nesssa condição.

 

Conforme divulgado pelo Bahia Notícias nesta quinta-feira (18), há uma diferença significativa entre os dados divulgados pelo Estado,  e os números divulgados pela SMS de Lauro de Freitas no que se refere ao número de casos ativos no município. 

 

Enquanto a SMS de Lauro fala em 1.756 casos ativos, o último boletim divulgado pela Sesab nesta quarta-feira (17), revela 220 casos ativos na cidade, o que representa uma diferença de 1.536 pacientes ainda em tratamento. O site buscou a secretaria lauro-freitense que reiterou o número de casos ativos divulgado.


Ao comparar os boletins municipais com os dados da Sesab, as discrepâncias permaneceram nas cinco cidades com os maiores índices de contaminados na Bahia. 

 

Em Itabuna, no Litoral Sul,  a prefeitura contabiliza 593 casos ativos da doença, pessoas que ainda apresentam sintomas e estão em tratamento, já Sesab diz que na cidade há  675 casos ativos. Em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, a prefeitura divulgou 493 casos ativos, já a Sesab 409 casos ativos.  

 

No entanto, em três cidades a discrepância é superior.  Enquanto a prefeitura municipal de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) divulgou ter 1.174 casos ativos, a Sesab publicou no boletim um 317 ativos. 

 

Já em Feira de Santana, no Portal do Sertão, de acordo com a secretaria municipal de saúdem são 1.443 casos ativos, contra 289 divulgados pela Sesab. Em Jequié, na região do Médio Rio de Contas,  a prefeitura divulgou 1.645 casos ativos, mas a pasta estadual aponta para 265 pessoas ainda em tratamento, seja ele domiciliar ou em internamento.

 

A reportagem do Bahia Notícias entrou em contato com a Sesab para saber o que justifica tal discrepância e se o mesmo ocorre com outras cidades do boletim.  Ainda foi indagado se essa diferença pode indicar que o número de pessoas ainda tratando a doença na Bahia é superior ao divulgado pela pasta, e se o mesmo pode se refletir nos dados relacionados ao número de contaminados e óbitos registrados na Bahia. 

 

Por meio de assessoria de imprensa, a Sesab respondeu que, como vem sendo divulgado em todos os boletins epidemiológicos, "para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático". 

 

A pasta disse ainda que "a eventual disparidade de números deve ser questionada aos municípios sobre a metodologia utilizada".




Compartilhar Google Plus

Autor emcimadanoticia

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo digitando o texto no html .

Postagens Relacionadas

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial