ADVOGADO BONFINENSE COMPLETA 200 ATUAÇÕES NO TRIBUNAL DO JÚRI PARTICIPANDO DE 2 JULGAMENTOS NO MESMO DIA


No turno da manhã, Josemar atuou a convite do colega Tony Novaes, de Campo Formoso, conseguindo desclassificar a denúncia de Homicídio Simples (pena de reclusão prevista variável entre 6 e 20 anos) para Lesões Corporais Simples (pena de detenção prevista variável entre 3 meses e um ano), ficando o réu para ser apenado pela Lei de Pequenas Causas (Lei 9.099/1995), caso as vítimas (duas) decidam representar contra o réu com base nessa lei.

O advogado bonfinense Josemar Santana atuou nesta sexta-feira (23/11/2018) no Tribunal do Júri da Comarca de Campo Formoso, participando como defensor em dois julgamentos, sendo o primeiro no Turno da Manhã e o segundo no Turno da Tarde, completando, assim, 200 atuações em Tribunais do Júri das Comarcas das Regiões de Senhor do Bonfim, Juazeiro e outras regiões da Bahia e de outros Estados Brasileiros.



No turno da tarde, atendendo convite do colega Bruno Vieira, integrante do Escritório SANTANA ADVOCACIA, na sua terceira atuação no Tribunal do Júri, Josemar completou a sua atuação de número 200, conseguindo com o seu colega, desclassificar a denúncia contra o réu de Homicídio Duplamente Qualificado (motivo fútil e meio que impossibilitou a defesa da vítima), cuja pena de reclusão  - regime fechado - prevista é variável entre 12 e 30 anos, para Homicídio Simples (pena prevista variável entre 6 e 20 anos, sendo condenado a 8 anos e 9 meses, beneficiando-se da redução da pena pela netade ( 3 anos, 10 meses e 15 dias) que será cumprida em regime aberto.

Josemar ressaltou a boa atuação do seu colega  de Escritório, Bruno Vieira, jovem advogado e que atuou pela terceira vez, demonstrando aptidão para o Tribunal do Júri, pelo desempenho revelado.


No turno da tarde o réu julgado foi Antonio Alves da Silva e vítima Genivaldo dos Santos, atingido com dois golpes de faca no ombro direito.

Presidiu os Julgamentos o Dr. Francisco Moraes, titular da Vara Única do Crime da Comarca de Campo Formoso, tendo como representante do Ministério Público a Promotora Joseane Nunes, sendo réu no julgamento da manhã, Rogênio Santos da Silva e vítimas os irmãos Reinaldo e Nilton Antônio da Silva, o primeiro, lesionado durante uma briga com o acusado com um pedaço de tijolo no rosto e o segundo atingido com tiro de espingarda de socar na coxa direita, próximo da virilha.
Compartilhar Google Plus

Autor emcimadanoticia

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo digitando o texto no html .

Postagens Relacionadas

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial