Acordo entre Maia e Bolsonaro pode tirar da PF poder sobre concessão de posse de armas


Maia e Bolsonaro
De acordo com a lei hoje vigente, mesmo que a pessoa cumpra os requisitos estabelecidos para ter o porte, a PF pode recusar o registro, caso avalie que o cidadão não precisa de uma arma.
Um acordo feito pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República prevê mudanças na lei do estatuto do desarmamento. Se o trato se efetivar, a Polícia Federal (PF) vai perder o poder discricionário de conceder ou não a posse de arma a um cidadão brasileiro.
A informação é da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo. De acordo com a lei hoje vigente, mesmo que a pessoa cumpra os requisitos estabelecidos para ter o porte, a PF pode recusar o registro, caso avalie que o cidadão não precisa de uma arma.
Atualmente apenas membros das Forças Armadas, policiais, guardas, agentes penitenciários, seguranças privados ou pessoas que comprovem que estão em atividade profissional de risco podem carregar uma arma.
Informações da Folha de S. Paulo
Compartilhar Google Plus

Autor emcimadanoticia

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo digitando o texto no html .

Postagens Relacionadas

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial